• Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size
  • default color
  • cyan color
  • red color
Cacá Lopes, um artista popular

caca-artista-pop

Dono de uma trajetória única e exemplar, Cacá Lopes é sinônimo de quem venceu as intempéries da vida pelo suor e inspiração. Por apresentar uma paralisia no braço esquerdo, desenvolveu um modo peculiar e inédito de tocar violão, colocando-o no colo e teclando-o como se fosse um piano. Ele se considera um vencedor por ter uma técnica tão “incomum”, o que faz de suas músicas tão especiais.

Cacá Lopes começou sua trajetória em 1984, com o lançamento de um compacto simples, com as músicas "Brilhar" e "Você Que Sonha", de sua autoria. Com a tiragem de apenas mil copias, o disco foi gravado no Estúdio Mosh, em São Paulo, com produção de Hélio Santistebam, do Grupo Pholhas.

A consciência cultural Cacá foi adquirindo aos poucos, quando começou a participar do Movimento Cultural do Bairro e a militar por questões sociais em movimentos populares. Com o passar do tempo assumiu uma identidade artística, vindo a optar pela unificação da música e a literatura de cordel na cultura popular.

Fez parceria com o "Cidadão Paulistano" Costa Senna por alguns anos, mas a partir de 2009 começou criar e publicar seus próprios trabalhos em cordel, continuando a parceria apenas nas composições.

Cacá Lopes tem gravados 5 CDs solos (Isso Aqui é que é Forró, Generosa Canção, Cooperativa do Forró, Multirão de Sonhos e Pérolas), 2 compactos e um disco em vinil. Tem dois livros publicados (Cinderela em Cordel e Vida e Obra de Gonzagão), e como cordelista é autor de uma dezena de folhetos de cordéis, entre eles Hino Nacional Brasileiro em Cordel, A Invasão do Estrangeirismo e Cordel do Trava Língua.

 

Para o artista,

O negócio é seguir tocante em frente, tentando driblar os modismos, a mídia de consumo e as mulheres-melancias da vida. O tempo é o senhor da razão e o planeta baqueado mostra suas cicatrizes. 

 

Recortes

Vida e Obra de Gonzagão - O mais completo Cordel

MAIS OU MENOS CEM CORDÉIS
No Brasil foram lançados,
E também uns vinte livros
Até aqui publicados,
Tributos a Luiz Gonzaga
Surgem em vários estados.

Eu também fico feliz
Em poder “cordeografar”
Esse artista tão completo
Da cultura popular;
Com vocês, Luiz Gonzaga!
Sua história vou contar!

Mestre Lua veio ao mundo
Exu, lá no Sertão,
Estado de Pernambuco
Numa bela região
Na fazenda Caiçara,
Próxima a um chapadão.

Sexta, 13 de dezembro
Dia de Santa Luzia
Mil novecentos e doze,
Que mais um bebê nascia
Trazendo para seus pais
Felicidade, alegria.